Publicado em 1/06/2015 as 12:00am

Brasileiro é vítima de mecânico golpista

Marcos da Silva Oliveira deixou o carro para conserto e há 6 meses tenta ter o veículo de volta

O brasileiro Marcos da Silva Oliveira, 32 anos, que veio da cidade de Timóteo (MG) e está nos Estados Unidos há 10 anos, foi vítima de um “golpe” aplicado por mecânico brasileiro que já teria feito outras vítimas na região da Grande Boston.

A história começou em novembro do ano passado, quando Oliveira estava indo para o trabalho (de Melrose para Peabody) e acidentalmente atropelou um animal na pista. Ele conta publicou uma foto no Facebook mostrando o estado em que ficou seu carro e um mecânico de Lawrence (MA) o procurou oferecendo seus serviços. Este homem inclusive prometeu que ele conseguiria vantagens do seguro. Foi quando Oliveira entregou a ele sua BMW 2005 para os devidos consertos. No entanto, seis meses depois o brasileiro, que trabalha num posto de gasolina em Malden (MA), ainda está sem o carro e coleciona uma série de problemas.

Ele procurou o Brazilian Times e contou que como seu carro estava demorando para ficar pronto, o mecânico ofereceu a ele compra de um outro veículo, pelo qual Oliveira deu uma entrada de $ 2.700 dólares. Mesmo assim, ele não conseguiu obter o carro e a relação entre ambos ficou complicada.

Como Marcos da Silva Oliveira cobrava insistentemente o mecânico pelo conserto do carro ou o veículo que ele havia comprado, o suposto golpista ofereceu a ele um carro emprestado. “Eu comecei a andar com o carro, mas como trabalho num posto de gasolina perto da Corte, certo dia resolvi pedir a um policial para verificar a placa do carro e descobri que o carro estava sem seguro”, conta. Depois disso ele devolveu o carro e continuou a cobrar o mecânico, mas ele teria se mudado para a cidade de Lynn (MA) e aberto outro body shop com nome e licença de outra pessoa. “Estou há mais de seis meses a pé, sendo que era para tudo estar resolvido”.


Brasileiro vai contratar advogado

O brasileiro Marcos da Silva Oliveira diz que mesmo sem poder usar seu carro continuou a pagar as parcelas e o seguro, por isso resolveu acionar o banco para ajudá-lo a recuperar o veículo.

O banco acabou localizando a BMW ano 2005, que foi guinchada e levada para um pátio. No entanto, o carro está praticamente desmontado e o pátio cobra um valor alto para liberar o veículo.

Segundo Marcos, o banco conseguiu obter de volta o valor do primeiro cheque pago pelo seguro ao mecânico, no valor de $ 2.556,00 dólares, mas ainda há outro que ultrapassa o valor de $3.500,00. “Como eu fico nesta situação? Simplesmente fui lesado por essa pessoa e sei que ela também prejudicou outros. Essa semana vou procurar um advogado para tentar resolver a situação”, diz Marcos, indignado com o desenrolar do caso.

Ele diz que o banco não quer pagar pela retirada do carro do pátio e que por isso ele continua a pé, já que sua apólice de seguro não previa um carro reserva em caso de acidente e problemas como este.

Marcos diz que conhece outras pessoas também vítimas desse mecânico e que pretende se juntar a todos para uma ação contra ele. “Fiquei sabendo que ele pretende voltar para o Brasil, mas não podemos deixar essa situação assim. Ele deve pagar pelo prejuízo, pois tem boa lábia e acaba entrando nas companhias, comete os erros e depois vai para outro lugar convence as pessoas e continua a praticar seus atos”, finaliza o brasileiro.

Fonte: Da Redação do Brazilian Times | Texto de Fabiano Ferreira