Publicado em 29/01/2008 as 12:00am

Republicanos têm teste com imigrantes latinos

John McCain passou o dia de ontem exibindo pela Flórida o senador de ascendência cubana Mel Martinez como se fosse uma das medalhas que conquistou na Guerra do Vietnã.

  EUA - John McCain passou o dia de ontem exibindo pela Flórida o senador de ascendência cubana Mel Martinez como se fosse uma das medalhas que conquistou na Guerra do Vietnã. Mitt Romney e Rudolph Giuliani colocaram no ar nas emissoras de TV locais respectivamente os anúncios "Mi padre'' (meu pai, em espanhol) e "Un plan'' (um plano).
Os três primeiros colocados nas pesquisas entre os pré-candidatos republicanos à Presidência usam as primárias de hoje, na Flórida, para cortejar um eleitorado que ganhará peso importante nas próximas horas e dias e com o qual o partido da situação tem uma relação ambígua. São os latinos, que respondem por 12% dos votantes do quarto maior estado em peso eleitoral nos EUA.
Com um salto de crescimento de 50% nas últimas três eleições presidenciais tanto no país quanto no estado, esse universo pode virar o jogo amanhã para um ou outro candidato, que sairá com os 57 delegados que representarão a Flórida na convenção do partido, em setembro -eram o dobro, mas o Partido Republicano local foi penalizado por ter adiantado a data de suas primárias à revelia da direção nacional.
São força política importante também no maior colégio eleitoral do país, a Califórnia, mais Arizona, Novo México e Texas, onde representam um em cada dez eleitores -quatro dos Estados que escolhem seus candidatos na Superterça, daqui a uma semana.
"Os republicanos estão começando a perceber que para ganhar o voto latino na Flórida não é só aparecer aqui, gritar "Cuba Libre' e ir embora'', disse à reportagem Andy Gomez, especialista do Instituto de Estudos Cubanos da Universidade de Miami. "Primeiro, porque não há um só "latino', mas vários tipos. Depois, porque Fidel já não é uma questão tão importante para as novas gerações.''
Os latinos do centro da Flórida "surgem como um eleitorado-chave'' em 2008. São quase 1 milhão de votantes, com predomínio de porto-riquenhos, mexicanos e sul-americanos. Alguns desses eleitores já são filiados ao Partido Democrata, principalmente os de Porto Rico, mas outros estão no processo de formar alianças políticas e estão abertos a propostas de ambos os partidos. Daí o assédio dos republicanos.
Por enquanto, o senador pelo Arizona está na frente. De acordo com pesquisa divulgada ontem pela Newlink Research, 36% dos latinos da Flórida pretendem votar em McCain, ante 26% dos que escolherão Mitt Romney e 16% dos que fecham com Rudolph Giuliani. Quando indagados sobre o que mais os preocupa na hora de votar, os ouvidos pelo instituto baseado em Miami corroboram a opinião de Andy Gomez: economia é prioridade (50%); imigração aparece em terceiro, com 9%.

Fonte: (imparcial online)