Publicado em 15/02/2008 as 12:00am

Polícia Federal investiga furto de dados sigilosos da Petrobras

A Polícia Federal está investigando o furto de informações sigilosas da Petrobras.

 

 A Polícia Federal está investigando o furto de informações sigilosas da Petrobras. Um disco rígido e dois computadores portáteis que supostamente continham dados sobre as novas descobertas de petróleo da Petrobras foram furtados no início deste mês no percurso entre uma plataforma da Petrobras, em Campos, e uma sede da empresa, em Macaé, ambos no Rio de Janeiro.

Ao UOL, a Petrobras confirmou "que houve um furto de equipamento com informações importantes para a companhia" e informou que, por ora, nenhum funcionário foi afastado. A empresa afirmou também que possui cópias dos dados que estavam nos computadores roubados.

De acordo com a empresa, o furto ocorreu durante o transporte dos equipamentos de uma estação de pesquisa no mar para escritórios da empresa no Estado do Rio de Janeiro.

A Petrobras informou que o transporte estava sendo realizado por uma empresa terceirizada, a Halliburton, maior do setor, que não se pronunciou sobre o assunto.

Não foram fornecidos detalhes sobre o tipo de informação contida nos equipamentos. A estatal não confirmou comentários que circulam na mídia nesta quinta-feira de que os computadores continham informações sigilosas sobre as reservas de petróleo e gás na camada ultraprofunda chamada de pré-sal, onde está o megacampo de petróleo de Tupi, na bacia de Santos.

Investigação
A delegada da Polícia Federal em Macaé Carla Dolinski disse que espera receber informações da empresa sobre o furto no prazo de 15 dias. "A Petrobras, que tem a maior parte das informações, nos forneceu informações genéricas sobre o fato. Nós instauramos o inquérito e determinamos algumas diligências. Só que, no entanto, quem tem a maior parte das informações é a própria Petrobras, que está fazendo uma apuração interna", disse.

O roubo de alguns HDs e notebooks ocorreu no dia 1º de fevereiro. A polícia desconhece se o meio de transporte do contêiner teria sido rodoviário ou marítimo.

Segundo a delegada, os equipamentos roubados seriam de propriedade da Halliburton e não da Petrobras, mas conteriam informações da estatal.

A PF tem duas linhas de investigação. A primeira seria o furto com objetivo de espionagem para obtenção de informações estratégicas. A outra seria um furto simples.

A PF realizou perícia no contêiner, mas ainda não há resultado. Mas a delegada admitiu que são pequenas as chances de conseguir informações por meio dessa perícia, uma vez que o local não teria sido preservado.

Fonte: (uol.com.br)