Publicado em 31/01/2012 as 12:00am

Eleições 2012 nos EUA

Todos de olho nas primárias da Flórida, onde Romney é favorito

Todos os olhares estão voltados nesta terça-feira para a Flórida, onde o pré-candidato republicano Mitt Romney surge como favorito sobre seu rival Newt Gingrich, em uma primária-chave para conquistar a indicação de seu partido e brigar em dezembro pela presidência com o presidente Barack Obama.

Os centros de votação abriram às 07H00 local (10H00 de Brasília), neste estado onde o Partido Republicano conta com cerca de 4 milhões de afiliados, 13,1% deles de origem latina.
Que dia! Com uma participação assim começo a sentir que amanhã ganharemos, disse Romney na segunda-feira em um evento de campanha em Dunedin, na costa de Tampa (centro da Flórida), que contou com a presença de 1.500 pessoas.

"Sei que o ex-presidente da Câmara de Representantes não está muito feliz; Gingrich não está se sentindo muito emocionado nestes dias", acrescentou Romney na véspera das primárias neste estado do sudeste dos Estados Unidos.

Uma última pesquisa da Universidade de Suffolk e WSVN-Miami concedia a vitória ao moderado Romney com até 20 pontos de vantagem sobre o conservador Gingrich (47% contra 27%), que chegou à Flórida na semana passada embalado pela vitória contundente na primária da Carolina do Sul.

Durante esta semana de debates, Gingrich tentou criticar a riqueza e o passado de empresário "sonegador de impostos" do candidato mórmon, a quem também chamou de "anti-imigrante", sem esperar as enérgicas réplicas de Romney, que conseguiram atrair mais seguidores, segundo as pesquisas.
O vencedor desta terça-feira contará com 50 dos 1.144 delegados necessários para conseguir a candidatura presidencial republicana, que será decidida em uma convenção do partido em agosto em Tampa.

Até agora, o ex-senador Rick Santorum - terceiro nas pesquisas - venceu no caucus de Iowa, Romney em New Hampshire e Gingrich na Carolina do Sul. O representante do Texas, Ron Paul, se manteve na quarta posição.

Santorum e Paul praticamente não fizeram campanha na Flórida.

Os aspirantes republicanos à Casa Branca tinham a tarefa de conquistar neste estado dois importantes grupos de eleitores, os latinos e os aposentados: 22,5% e 17,3%, respectivamente, de uma população de mais de 19 milhões de habitantes.

Para os eleitores de origem cubano-americana, Gingrich e Romney competiram para demonstrar quem teria mais "mão-de-ferro" para planejar uma Cuba sem os irmãos Castro ou afastar da América Latina "a ameaça" do presidente venezuelano, Hugo Chávez, como disseram em uníssono em eventos hispânicos em Miami, onde as pesquisas indicam que o ex-governador de Massachussetts sairá vencedor.

Atrair os eleitores com mais de 65 anos, que têm uma grande participação eleitoral, se tornava mais complicado se falavam sobre o sensível tema de reformar o seguro de saúde e o sistema de aposentadorias, do qual dependem mais de 60% dos aposentados de vários condados do sul da Flórida.

"Nunca vamos nos meter com o Medicare nem com a Segurança Social. Garantirei que vou protegê-los", disse Romney na segunda-feira à tarde no centro de aposentados The Villages, no centro do estado.

Seus planos de reformar estes sistemas públicos ficaram à margem dos debates televisionados e dos grandes eventos, de modo que se ouviu pouco e nada do plano de Gingrich que propõe que seguradoras privadas compitam com o Medicare, ou do de Romney, que gostaria que os jovens entrassem no mercado privado das seguradoras.

Quanto à Segurança Social, Gingrich defende que seja dada à população a opção de seguir com o sistema público ou investir em fundos de aposentadorias privados. Romney também propõe a opção dos fundos de aposentadorias privados, mas não quer aumentar a idade para classificar os benefícios e que estes benefícios estejam baseados nos salários.

Em sua tentativa para cativar os "indecisos" que definem a eleição neste grande estado, Romney fez uma jogada diante da comunidade de Porto Rico, segundo bloco hispânico na Flórida depois dos cubano-americanos, prometendo que se os porto-riquenhos decidissem pela anexação aos Estados Unidos em um referendo neste ano, ele, como eventual presidente, faria com que este processo fosse realizado em Washington.

Após as eleições na Flórida, a campanha pela primária republicana será retomada em 4 de fevereiro nos caucus de Nevada e Maine. Depois disso, os pré-candidatos não devem voltar a se encontrar até o dia 22 de fevereiro, quando está previsto outro debate.

Fonte: (da uol)