Publicado em 5/09/2014 as 12:00am

Candidato a Governo de MA declara amor pelos brasileiros

O candidato independente ao Governo de Massachusetts, Jeff McCormick, é presença garantida nos festejos em comemoração pela "Independência do Brasil"

O candidato independente ao Governo de Massachusetts, Jeff McCormick, é presença garantida nos festejos em comemoração pela “Independência do Brasil”, que acontecerá no domingo (07), no Herter Park, em Boston (Massachusetts). Ele, que cresceu em uma cidade interiorana no estado de New York, conversou com a redação do Brazilian Times e falou de seu carisma e respeito para com a comunidade brasileira.

Jeff McCor é descente de uma família de imigrantes irlandeses, que trabalharam na área da indústria de aço, construções, entre outras. “Por isso, eu sei exatamente o que o trabalhador imigrante precisa e que os nossos governantes devem ver a importância destas pessoas para o desenvolvimento”, explica.

O candidato possui bacharel em Biologia, pela Universidade de Syracuse, estudou genéticas moleculares e fez MBA em Finanças. Jeff também se destacou na área esportiva, sendo capitão do time de lacrosse na faculdade quando sua equipe venceu o campeonato nacional, em 1983.

Ele conversou com a equipe do jornal Brazilian Times e falou sobre sua candidatura e a presença da comunidade imigrante, principalmente a brasileira, em Massachustts e no resto do país. Jeff é casado, pai de três crianças e assegura que tem muito a oferecer às comunidades imigrantes e ao estado de Massachusetts.


Brazilian Times – Quais os motivos que o motivaram a se candidatar ao Governo de Massachusetts?

Jeff McCormick – Tenho 27 anos de experiência em negócios. Quero pegar essa experiência e aplicar no governo, que está com o sistema quebrado. Estive envolvido com companhias que criaram milhares de empregos através da minha carreira. Quero ver Massachusetts crescer e fazer parte deste momento. Há muitos desempregados no momento, e negócios falidos. Quero incentivar o crescimento de novos negócios e criar empregos em todo o estado. Com bons professores, mentores, quero construir minha versão do sonho americano, e penso que é meu momento, de usar minhas habilidades para construir uma plataforma para todas as pessoas atingirem as suas versões do sonho americano


BT - Qual a visão dele em relação a comunidade brasileira em Massachusetts?

JMC - Eu tenho muitos amigos pessoais que frequentam a minha casa, que são brasileiros. Sei que a maior comunidade de brasileiros fora do Brasil encontra-se em Massachusetts, e são pessoas que trabalham duro, com ética, são gentis e muito ligados à família e adoram se divertir. Sinto uma conexão especial com o país e até torci para que ganhassem na Copa, depois que os Estados Unidos foram eliminados dos jogos.

BT - Existe algum assunto ligado ao imigrante que considera importante?

JMC - Um dos assuntos mais importantes do estado que se relacionam com o imigrante é o direito à saúde e a educação. Ter a oportunidade a uma boa educação é o caminho para que se atinja o tão sonhado "american dream" de todos. Para que os imigrantes e seus filhos possam competir no mercado de trabalho é importante que se tenha boa educação, entendam a língua e possam participar da economia. Como sabemos, o sistema está quebrado atualmente e estamos trabalhando em projetos que colaborem e incentivem a educação de adultos.

BT - Que tipo de governo os imigrantes podem esperar de você?

JMC - As comunidades de imigrantes podem esperar de mim um governo transparente, inclusivo, que traga inovações e aberturas. É importante que as pessoas participem e para isso temos ouvido comunidades de diferentes locais sobre o que é importante naquela região.

BT - Como existem muitos imigrantes no estado, não haveria como criar a Secretaria do Imigrante?

JMC - A comunidade de imigrantes representa cerca de 15% do nosso estado. Atualmente há no setor de Saúde e Serviços Humanos um escritório para refugiados e imigrantes, e que na verdade tem como diretor executivo um brasileiro. Pretendemos continuar com o escritório, porém, transferi-lo para o setor de Habitação e Desenvolvimento Econômico. Assim, haverá a possibilidade de abrangermos e incentivarmos mais à integração de refugiados e imigrantes à economia do estado.

BT - Qual a sua avaliação sobre a liberação da carteira de motorista para imigrantes indocumentados em MA?

JMC - Apoio que passemos a Safe Driving Bill no estado, que é a lei que prevê que independentemente de status no país, todos têm direito à uma carteira de habilitação. Dois pontos são muito importantes e no final somente temos benefícios. A realidade é que as pessoas já estão dirigindo, e de um lado, por questões de segurança pública é importante que as pessoas tenham oportunidade de serem educados em como dirigir nas ruas do estado. De outro, precisam trabalhar, levar seus filhos à escola, fazer compras no mercado. A lei beneficia aos dois lados, pois estarão habilitados legalmente a estarem nas ruas, com a devida educação no trânsito e sem medo, fazendo com que sintam-se membros completos da sociedade.

BT - Você acha que o imigrante possui papel importante na economia?

JMC - O papel do imigrante é importantíssimo na economia do estado. 60% dos pequenos negócios de Massachusetts foram fundados por imigrantes. É importante que o governo os faça sentir bem-vindos, pois além de ajudarem na criação de empregos, o estado arrecada impostos e deve usá-los em benefício da população para que continuemos em crescimento. Outro ponto importante é que pessoas do mundo inteiro vêm às instituições de ensino em Massachusetts. Queremos encorajá-los à permanecerem no estado e a participar da nossa economia como um todo.

BT - qual a mensagem deixaria para a comunidade brasileira, inclusive os brasileiros que já votam?

JMC - Massachusetts deve muito de sua grandeza aos imigrantes. No século XIX os irlandeses vieram e depois os italianos. Recebemos pessoas de todos os lugares do mundo. Hoje, a comunidade latina é muito grande no estado. Como governador, vou assumir seriamente meu papel para que encontremos um caminho de sucesso.

Mais do que slogan de campanha política, trata-se de ter soluções concretas para problemas reais, que façam a diferença na vida das pessoas. Quero ouvir e tratar dos problemas dos imigrantes, que são um grande percentual do estado, conversando com os centros de ajuda e aproximando o governo das pessoas. Sou imensamente agradecido ao apoio da comunidade brasileira.

Fonte: Da Redação do Brazilian Times | Texto de Luciano Sodré