Publicado em 12/09/2014 as 12:00am

Coakley vs Barker

Veja o que os principais candidatos ao governo de Massachusetts pensam sobre imigração

A imigração ilegal pode não ser um tema muito discutido em Massachusetts, por não se tratar de uma região fronteiriça, mas a presença dos imigrantes indocumentados desperta o interesse de muitas pessoas e organizações. Até os candidatos ao governo do estado incluíram em seus planos de trabalho itens direcionados a esta comunidade.

Nesta terça-feira (09) aconteceram as primárias que definiram quem serão os candidatos ao Governo de Massachusetts. Do lado Democrata, a Procuradora-Geral do estado, Martha Coakley foi eleita com 42% dos votos. Os Republicanos escolheram o empresário e político Charlie Baker, que conseguiu 74% dos votos. Os dois agora iniciam a corrida pela cadeira que será deixada por Deval Patrick.

A candidata Martha Coackley, destacou o seu trabalho como Procuradora-Geral do Estado, para justificar o seu conhecimento em relação aos problemas das comunidades imigrantes. Ela citou recentes trabalhos para resolver problemas da violência doméstica e a desarticulação das quadrilhas que exploravam mulheres imigrantes.

Ela prometeu que, se for eleita, vai apoiar a posição do atual governador Deval Patrick em relação às taxas do “in-state tuition” para filhos de imigrantes que vivem ilegalmente nos Estados Unidos. “Também sou a favor do Dream Act, que abre caminho para legalizar os jovens indocumentados”, disse.

Coakley ressaltou, também, que as alterações no programa federal Comunidades Seguras devem ser consideradas. “Os críticos dizem que o programa, concebido para ajudar a identificar os imigrantes criminosos que oferecem perigo à sociedade, também levou para as prisões muitos trabalhadores imigrantes”, continua.

Charlie Baker sempre deixou evidente as suas críticas aos congressistas em Washington que não conseguem chegar à uma solução em relação a crise na imigração. “Esta inércia obrigou os estados a agirem de maneira independente para resolver o problema”, disse.

Baker ressaltou que o Estado deve tomar medidas para excluir os imigrantes indocumentados do direito a habitação pública. Para ele, os cidadãos e imigrantes que estão legais no país devem ter a preferência e serem colocados na frente da lista de espera. “Eu reconheço que somos uma nação de imigrantes”, disse Baker. “Eu valorizo ​​a diversidade criada pela imigração legal, que continua a moldar a nossa comunidade de maneira positiva”, continua. “Mas é preciso resolver de uma vez por todas a questão de quem está ilegal no país, pois eles não podem continuar tendo acesso aos mesmos direitos que nossos cidadãos”, conclui.

Fonte: Da Redação