Publicado em 7/11/2014 as 12:00am

Baker para governo de MA não assusta brasileiros

O próximo governador do estado sempre se mostrou contra a liberação de benefícios para indocumentados, inclusive o MassHealth

Uma apuração apertada elegeu o Republicano Charlie Baker ao governo de Massachusetts para os próximos dois anos. Ele obteve 1.041.640 votos e sua adversária, a Democrata Martha Coakley recebeu 1.001.279. Em uma coletiva de imprensa o futuro governador afirmou que “agora é hora de arregaçar as mangas e levar o estado para um rumo melhor”.

O novo governador de Massachusetts é considerado pela maioria dos ativistas como “anti-imigrante” e em várias reuniões deixou claro que não tem propostas para os indocumentados. Baker chagou a afirma que o Estado deve tomar medidas para excluir os imigrantes indocumentados do direito a habitação pública.

Para ele, os cidadãos e imigrantes que estão legais no país devem ter a preferência e serem colocados na frente da lista de espera. “Eu reconheço que somos uma nação de imigrantes”, disse Baker. “Eu valorizo ​​a diversidade criada pela imigração legal, que continua a moldar a nossa comunidade de maneira positiva”, continua. “Mas é preciso resolver de uma vez por todas a questão de quem está ilegal no país, pois eles não podem continuar tendo acesso aos mesmos direitos que nossos cidadãos”, concluiu.

A vice-governadora eleita, Karyn Polito, também tem um histórico de votos contra a comunidade imigrante. Quando foi deputada, ela votou a favor de um projeto de lei que exigia prova de cidadania para conseguir benefícios do Estado, incluindo o MassHealth. Ela também votou a favor de um projeto que obrigava a Procuradoria Geral do estado a criar uma linha 24 horas para que cidadãos pudessem denunciar imigrantes indocumentados. Os dois projetos não foram aprovados.

Em um debate no ano de 2010, Charlie Baker afirmou que  a culpa pelos casos de violência no estado era dos imigrantes e que é contra a  in-state tuition ou qualquer subsídio público para os indocumentados.

Ao ser questionado qual seria a sua proposta para fortalecer a segurança em Massachusetts, ele relacionou criminosos e gangs com os imigrantes. “Eu realmente acredito que deveria haver uma conversa entre  o governo federal, o governo do estado e a polícia em torno de um monte de problemas associados com gangues e drogas. Incluindo-se o uso de status de imigração como um mecanismo para ir contra a lei, são  desordeiros nacionais, causam grandes problemas nas comunidades, é preciso que criemos um dispositivo para enviá-los de volta para onde eles vieram, e enfim possam parar de aterrorizar as pessoas na nossa vizinhança ", afirmou ele, demonstrando que realmente não simpatiza muito com os imigrantes do estado.

O jornal Brazilian Times conversou com alguns brasileiros para saber se a eleição de Baker pode afetar a vida dos imigrantes no estado. Todos não temem o que ele possa fazer e acreditam que a mudança possa ser um sinal de boas novas.

JULIO MORAIS

O assessor do Deputado Wayne Matthewsky, Júlio Morais, disse que a comunidade brasileira rotula os políticos baseado nas ideologias dos seus partidos. Ele acredita que Charlie Baker fará uma boa administração à frente do Governo. “Também tenho a certeza de que os imigrantes terão oportunidade de trabalhar ao lado desta nova gestão e consigam muitos benefícios”, afirma.

Júlio ressalta que os Democratas ainda são a maioria no Legislativo e ela vai continuar defendendo os interesses dos imigrantes que contribuem para o crescimento de Massachusetts. “A luta é grande e a batalha é longa, mas devemos ser otimistas e trabalhar junto com o novo Governo, independente de quem o está administrando”, conclui.

JOSE ROBERTO

O Pastor José Roberto é outro que não acredita em dificuldades para os imigrantes em Massachusetts. “Todos sabem que este estado é formado por imigrantes e tem a sua economia alicerçada por muitas empresas pertencentes a esta comunidade. Seria uma burrice o novo governador bater de frente com estas pessoas”, afirma.

Roberto acrescenta que esta mudança possa ser uma boa para os imigrantes, pois por tantos anos os Democratas não fizeram muita coisa. “Quem sabe a entrada de um Republicano possa dar uma guinada positiva para a Reforma Imigratória”, disse. “Deus não dá a provação além do que possamos suportar”, fala para explicar que os imigrantes não terão problemas em viver no governo de Baker.


LIDIA SOUZA

Já a ativista comunitária Lídia Souza, a história vai ser completamente diferente. Para ela, os dias no próximo governo serão difíceis para imigrantes em todos os aspectos. “Mas não devemos desistir de lutar”, disse.

Ela garante que com os Republicanos assumindo as duas casas (Congresso e Senado), o presidente Barack Obama vai assinar uma Ordem Executiva para legalizar a maioria dos imigrantes. “Tenho certeza de que ele sabe da dificuldade de uma reforma imigratória passar agora que a oposição domina todo o legislativo. Por isso vai agir por conta própria e cumprir uma de suas maiores promessas”, conclui.

DANILO BRACK

O advogado especialista em Imigração, Danilo Brack, é contra as afirmações de que Charlie Baker é anti-imigrante. “Ele é contra a anistia, como a maioria dos conservadores e também prega o controle fiscal e priorização do uso dos recursos do Estado”, afirma.

Para Danilo, “por causa da grande polarização causada por Obama, qualquer iniciativa pró-ajustamento de imigrantes indocumentados encontrará resistência republicana, mesmo em Massachusetts”. Ele explica que isso poderia ser facilmente contrabalanceado com uma franca discussão dos prós e contras de legalizar aqueles que têm raízes na comunidade, não tenham problemas criminais e adicionam crescimento em geral.

O advogado acredita que Charlie Baker se tornará mais a favor dos imigrantes do que a maioria dos democratas que usam a reforma como um reduto de votos. “Economicamente, os últimos dois governadores democratas (Dukakis e Patrick) afundaram a economia estadual e os últimos três republicanos (Weld, Cellucci e Romney) explodiram em crescimento. Eu acho que Baker tem assuntos internos estaduais mais importantes do que imigração no momento e Patrick só falava, não fazia nada”, fala acrescentando que “mais de 400 mil ainda sendo deportados todo ano sob uma administração democrata”.


DEL COSTA

O contador Dell Costa acredita que a comunidade perde sempre quando há alguém declaradamente contrário a ela. “Mas também não podemos esquecer que o governo democrata de Deval Patrick e até Barack Obama não deram aquilo que era esperado pelos indocumentados”, afirma.

Ele ressalta que é preciso se apegar à força do trabalho, fortalecer a luta pelos direitos dos imigrantes e continuar acreditando. “Tenho certeza de que serão quatro anos difíceis em Massachusetts, mas vamos passar por isso e vencer no final”, conclui.

CARLOS DA SILVA

O brasileiro Carlos AF Da Silva disse que não há motivos para se preocupar e que “os Democratas continuam a maioria no Senado Estadual e na Câmara dos Deputados”. Para ele Charles Baker terá que governar com muito critério, pois ao contrário, não conseguirá avançar com os seus projetos. “Espero que Baker não tome medidas extremas contra os imigrantes”, disse.

Carlos acredita que os imigrantes devem se envolver mais nas entidades para fazer lobby no State House e também White House. “Só assim haverá leis que beneficiem esta comunidade”, conclui Carlos AF Da Silva, Presidente do Partido Democrata em Hingham.

Fonte: Da Redação do Brazilian Times | Texto de Luciano Sodré