Publicado em 19/11/2014 as 12:00am

Republicanos planejam cortar verba da Reforma Migratória

Oponentes do presidente planejam cortar a verba da ordem executiva que visa a reforma do sistema migratório, impossibilitando qualquer ação

Americanos pela Prosperidade, um grupo fundado pelos bilionários irmãos Koch, se reuniu discretamente com legisladores republicanos no Capitólio há algumas semanas, alertando-os sobre a estratégia de lutar contra as ordens executivas do Presidente Obama de forma que levaria ao colapso do Governo. Segundo o jornal Brazilian Voice, o Governador Chris Christie (R-NJ) expressou o mesmo sentimento na segunda-feira (17), durante um encontro com os candidatos eleitos à Câmara dos Deputados. Já na terça-feira (18), os republicanos da Câmara saíram de uma reunião às portas fechadas sobre a escolha entre 2 planos que visam combater as ordens executivas que serão assinadas pelo presidente sem necessariamente parar as funções do Governo.

“Nós já passamos pelo quase colapso do Governo há um ano. Isso não funcionou e eu penso que muita gente se recorda e acha que não é uma boa ideia repetir essa estratégia”, disse o representante republicano Tom Cole, de Oklahoma. “Nós temos muito mais que uma marreta na caixa de ferramentas, então, vamos usar outras armas que possuímos”.

Uma opção apresentada pelo representante Harold Rogers, republicano de Kentucky e chefe do Comitê de Apropriações da Câmara, visa a aprovação do seu orçamento de despesas até a data limite de 11 de dezembro, portanto, rescindindo a verba para a ação executiva de Obama. A outra opção, proposta pelo representante republicano Tom Price, da Geórgia, pede a aprovação da maioria das propostas de gasto, mas excluindo especificamente aquelas ligadas aos programas de reforma migratória de Obama.

O presidente poderá anunciar até o final dessa semana uma ordem executiva que permite que até 5 milhões de imigrantes indocumentados permaneçam e trabalhem no país sem o temor da deportação.

“Nós queremos o Governo plenamente com verba, mas aquela área em particular sem verba”, disse a deputada republicana Michele Bachmann, de Minnesota. “Nós não queremos um colapso governamental, mas iremos ‘secar’ a área onde o presidente está agindo ilegalmente”.

O representante Matt Salmon, republicano do Arizona, disse que os republicanos da Câmara estão avaliando várias opções, mas que não planejam “travar” o Governo, apesar de insistirem em lutar contra o presidente com relação à imigração.

“Tudo está na mesa e o porta-voz se comprometeu que teremos um plano que não permitirá que o presidente tenha verba para fazer isso (reforma migratória)”, disse Salmon.

Anteriormente, Rogers pediu aos colegas de partido, através de um artigo de opinião, que aprovassem a proposta de orçamento do seu comitê “de forma transparente, responsável e pragmática, sem a possibilidade de um colapso governamental ou a sombra de desperdício e marasmo no orçamento causado por medidas provisórias”.

A voz coletiva dos legisladores enviou uma mensagem clara aos republicanos mais conservadores no Congresso: O colapso do Governo seria uma forma terrível para o Partido Republicano (GOP) iniciar o poder.

Fonte: Da Redação