Publicado em 22/04/2015 as 12:00am

Brasileira é pivô de escândalo político nos EUA

A brasileira Juliana Lopes, 34, é um dos pivôs de um escândalo político que pode levar à prisão de um senador nos Estados Unidos, segundo reportagem do jornal "New York Post".

A brasileira Juliana Lopes, 34, é um dos pivôs de um escândalo político que pode levar à prisão de um senador nos Estados Unidos, segundo reportagem do jornal "New York Post".

O senador norte-americano Robert Menendez, 61, foi indiciado por realizar tráfico de influência para conseguir vistos de entrada nos EUA para mulheres ligadas a um grande doador de suas campanhas eleitorais. Em troca da ajuda com os vistos, o senador teria recebido cerca de US$ 1 milhão em dinheiro e presentes.

De acordo com as investigações, Menendez mobilizou a equipe de seu gabinete para garantir que os vistos fossem concedidos às mulheres. As beneficiadas seriam amantes do médico Salomon Melgen, 60, que é casado. Ele é amigo de longa data do senador e um dos maiores doadores de suas campanhas. Uma das amantes do médico seria a ex-BBB Juliana Lopes. Além dela, também teriam recebido o benefício uma atriz ucraniana e uma modelo da República Dominicana.

Menendez declarou ser inocente. Caso seja processado e considerado culpado, ele pode ser condenado a 15 anos de prisão.

O senador também é acusado de tentar influenciar funcionários do governo em favor de Salomon Melgen, em disputa envolvendo interesses comerciais do médico e em caso de conflito por cobrança de impostos. O médico está preso devido a acusações de fraudes. 

De acordo com a reportagem do "New York Post", Juliana Lopes disse em entrevista que conhece Salomon Melgen, mas não quis comentar as alegações contidas na peça de indiciamento do médico e do senador. Ela atua como advogada em Miami, na Florida.

O "New York Post" diz que o  relacionamento amoroso de Juliana Lopes com Melgen teve início em 2007, quando ela decidiu estudar direito no Brasil, depois de sua participação em um programa de reality show. Na época, ela tinha 27 anos, e Melgen, 53. As informações estariam no documento elaborado pela procuradoria dos EUA. 

Nessa época, ela teria se encontrado diversas vezes com o senador norte-americano, em cidades dos EUA e em uma luxuosa residência do médico na República Dominicana. Ele sabia que Juliana Lopes era uma das namoradas de Melgen, de acordo com o jornal. 

Conforme a reportagem, os procuradores dizem que, em 24 de julho de 2008, Menendez delegou a um assessor político a tarefa de solicitar a um funcionário de alto escalão do Departamento de Estado uma "consideração cuidadosa" para o pedido de visto de uma mulher brasileira -- descrita como atriz, advogada e modelo -- que queria ir para os Estados Unidos com um visto de estudante. Os nomes do senador e do médico são citados no pedido, feito através de um e-mail. 

Na investigação, a mulher é identificada apenas como "Girlfriend 1" (namorada 1, na tradução para o português). Ela tinha se candidatado a um curso de pós-graduação em direito em Miami.  A resposta para o e-mail chegou em algumas horas, e o visto para os EUA foi concedido um dia após a intervenção do assessor.

A promotoria norte-americana alega que a modelo usou parte do dinheiro ganho com ensaios sensuais em duas revistas para pagar a matrícula na universidade, enquanto a outra parte teria sido paga por uma fundação sem fins lucrativos de Melgen. De acordo com a reportagem, investigações feitas em registros fiscais da fundação de Melgen revelaram pagamentos de suborno para garantir o ingresso de duas mulheres em universidades de Miami. 

A fama de Juliana Lopes Leite veio com o programa "Big Brother Brasil 4", exibido em 2004. Após a passagem pelo reality show, ela chegou a tentar carreira de atriz, atuando em programas de TV e novelas. Também ganhou destaque na capa das revistas "Sexy" e "VIP". No entanto, Juliana abandonou a carreira artística, formou-se em direito em Brasília e mudou-se para Miami, onde desde 2013 atua na área imobiliária com escritório de advocacia próprio.

Fonte: Da Redação