Publicado em 1/09/2016 as 8:00am

Itamaraty repudia críticas de governos latino-americanos

O Governo brasileiro decidiu chamar seu Embaixador em Caracas para consultas

O Itamaraty divulgou, na noite desta quarta-feira (31), duas notas de repúdio a governos que criticaram a posse de Michel Temer como presidente efetivo. No primeiro texto, o ministério das Relações Exteriores condena a postura da Venezuela após o impeachment. O governo do país vizinho divulgou uma declaração onde dizia ter "congelado as relações diplomáticas com o Brasil". 

A Bolívia também se manifestou. Pelo Twitter, o presidente Evo Morales disse:

"Estamos convocando o nosso embaixador no Brasil para assumir as medidas que neste momento são aconselhadas. Condenamos o golpe parlamentar contra a democracia brasileira. Estamos ao lado de Dilma, Lula e seu povo nesta hora difícil", escreveu .   

Também pelo Twitter, o líder do Equador, Rafael Correa, anunciou a mesma medida.   

Destituíram Dilma. Uma apologia ao abuso e à traição. Retiraremos nosso encarregado da embaixada. Jamais vamos coonestar com essas práticas, que nos lembram das horas mais obscuras de nossa América. Toda nossa solidariedade com a companheira Dilma, com Lula e com todo o povo brasileiro. Até a vitória sempre", afirmou.  A bancada progressista do Parlamento do Mercosul também emitiu um comunicado, onde declaravam "seu total repúdio ao Golpe de Estado concretizado contra a companheira presidente Dilma Rousseff por parte de setores oligárquicos, conservadores e reacionários do Brasil".

O ministério das Relações Exteriores do Brasil disse que "o Governo brasileiro repudia os termos do comunicado emitido pelo Governo venezuelano hoje, dia 31 de agosto, sobre a conclusão do processo de impedimento da ex-Presidente da República. Revela profundo desconhecimento da Constituição e das leis do Brasil e nega frontalmente os princípios e objetivos da integração latino-americana. À luz das circunstâncias, o Governo brasileiro decidiu chamar seu Embaixador em Caracas para consultas".

Bolívia, Equador e Cuba 

Logo após da divulgação da primeira nota, o governo emitiu um segundo texto lamentando as manifestações de "incompreensão" de representantes da Bolívia, do Equador e de Cuba. O texto diz que o "processo foi conduzido em estrito respeito ao que estabelecem as leis e a Constituição brasileiras e constitui um exemplo que fortalece a democracia no país e na região".

"Os Governos desses países reincidem em expressões equivocadas que ignoram os fundamentos de um Estado democrático de direito, como o que vige de maneira plena no Brasil. O Governo brasileiro conclama as autoridades desses países a manterem a serenidade e a respeitarem os princípios e valores que regem as relações entre as nações latino-americanas", termina a nota.

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br