Publicado em 4/11/2016 as 10:46pm

Entenda como funciona a complicada mas justa eleição americana

Entenda como funciona a complicada mas justa eleição americana

Se você gosta de matemática, a apuração do resultado é simples: Somar os votos do Colégio Eleitoral e, ao final, quem obtiver mais do que a metade das cadeiras, ou seja 270 do total de 538 dos votos dos representantes, será escolhido o presidente dos Estados Unidos.

Colégio Eleitoral

O Colégio Eleitoral nos EUA é distribuído proporcionalmente ao número da população de cada estado. O candidato que vencer a maioria do votos nas urnas naquele estado, recebe o número de deputados e senadores do mesmo, chamado 'winner-take-all' ou 'vencedor-leva-tudo'.

Ao final, o candidato que alcançar a maioria será o vencedor(a).

Dos 50 estados da União + o Distrito de Columbia, somente os estados de Maine e Nebraska não utilizam o sistema 'winner-take-all'. Eles usam seus próprios métodos distritais na distribuição de seus representantes.

Na Câmara dos Deputados ou 'Representatives'', o número de representantes é de 435 parlamentares. O Senado possui 100 representantes que, adicionados aos 3 deputados do Distrito de Columbia, também conhecido como Washington D.C., totalizam 538 participantes no Colégio Eleitoral americano.

Para se tornar o Presidente dos Estados Unidos, o candidato precisa receber a metade do Colegio Eleitoral + 1, ou seja 270 votos eleitorais.

Abaixo citamos os estados que, normalmente votam no mesmo partido e os 12 estados que decidem as eleições, chamados 'swing states' ou 'estados decisivos'. Os eleitores destes estados mudam seus votos de acordo com a situção de suas vidas em relação ao país no momento da eleição.

Exemplo: funcionarios da indústria e mineração nos estados do Colorado, Michigan e Ohio neste momento estão sofrendo com um índice alto de desemprego, portanto, o candidato que apresentar plataformas de governo que melhorem a vida desse eleitor, certamente ganhará seu voto.

Quem receber a maioria dos votos populares naqueles estados receberá todos os votos eleitorais referentes ao mesmo.

É por isso que não vemos os candidatos nos estados onde já garantiram seus votos. Eles concentram quase todo seu tempo e recursos financeiros nos 12 'swing states' para vencer a eleição.

Fique de olho nestes 12 estados, eles decidirão a eleição presidencial dos EUA!

Estados republicanos e seus votos eleitorais:

Alabama-9, Alaska-3, Arizona-11, Arkansas-6, Georgia-16, Idaho-4, Indiana-11, Kansas-6, Kentucky-8, Lousiana-8, Mississipi-6, Missouri-10, Montana-3, Nebraska-5, North Dakota-3, Oklahoma-7, South Carolina-9, South Dakota-3, Texas-38, Tennesse-11, Utah-6, West Virginia-5 e Wyoming-3.

Estados democratas e seus votos eleitorais:

California-55, Connecticut-7, Delaware-3, Hawaii-4, Illinois-20, Maine-4, Maryland-10, Massachussets-11, New Jersey-14, New York-29, New Mexico-5, Oregon-7, Rhode Island-4, Vermont-3, Washington-12 e Distrito de Columbia-3.

Estados decisivos ou 'swing states' e seus votos eleitorais:

Colorado-9, Florida-29, Iowa-6, Michigan-16, Minnesota-10, Nevada-6, New Hampshire-4, North Carolina-15, Ohio-18, Pennsylvania-20, Virginia-13 e Wisconsin-10.

As eleições serão na terça-feira dia 08 de novembro e, se tudo ocorrer normalmente, na madrugada do dia 09, quarta-feira, saberemos quem será o novo presidente dos Estados Unidos.

Última eleição presidencial dos EUA - 2012

Barack Obama vs. Mitt Romney.

Vitória de Obama com 332 votos eleitorais contra 206 de Romney - Total 538

Vermelho: Republicanos

Azul: Democratas

Amarelo: Indecisos

 

Fonte: Do Jornalista Marcello Malcher