Publicado em 23/02/2015 as 12:00am

Gabriel já está em Boston para tratar paralisia cerebral

Inicialmente a família morou na Florida, com o apoio da Fundação Ronald McDonald´s. O menino recebeu acompanhamento psicológico e fisioterapêutico.

O pequeno Gabriel Machado já chegou a Boston para se tratar de uma paralisia cerebral, gerada por dois erros médicos no Brasil. A família do menino tentou vários tratamentos em hospitais brasileiros, mas não obteve êxito. Depois de algumas pesquisas, descobriram que nos Estados Unidos teriam o apoio que precisavam e uma chance de salvar a vida do filho.

Inicialmente a família morou na Florida, com o apoio da Fundação Ronald McDonald´s. O menino recebeu acompanhamento psicológico e fisioterapêutico. Agora em Massachusetts, ele vai passar por mais exames, onde serão definidos os tipos de tratamentos que ele precisará.

O médico vai realizar exames para definir a dosagem da medicação, bem como introduzir uma dieta que é fruto de um tratamento inovador e que vem dando certo com outras crianças. No caso de não haver resultados positivos, em dois anos Gabriel precisará passar por uma cirurgia que vai cauterizar o foco da epilepsia. “Agora nós estamos mais confiantes e felizes com todo o apoio que estamos recebendo”, afirma o pai do garoto, Jeferson Machado.

Em Boston, a Fundação vai ajudar a família pelo período de três meses, como moradia e alimentação. Mas depois disso, ela precisará do apoio da comunidade até se estruturar. Para isso uma campanha foi iniciada e conta com o apoio da ativista Lídia Sousa.

Segundo ela, a princípio os pais precisarão de fraldas, fórmulas para bebes (pediasure), nos sabores de baunilha e morango. Os interessados em ajudar podem procurar um dos locais de entregar:

- Everett: Igreja Adventista (21 Cottage St), falar com a Lea, 617 5430528

- Framingham: Falar com a Cristina Lima – Brasusa Auto Repair, 494 Franklin St. Telefone(508) 202-9172;

- Stoughton: Falar com a Lídia, 1208 Central St. (617) 938-0506.

A HISTÓRIA

Em uma conversa exclusiva com o Brazilian Times, Jeferson Machado, pai do menino, contou um pouco de sua história e a saga para manter o filho vivo. Gabriel nasceu prematuro de 27 semanas, devido a um erro médico em um hospital na cidade de Campinas (São Paulo). “Com dois anos de vida, em 2009, ele teve uma crise de convulsão muito forte e foi isso que gerou os problemas neurológicos”, fala ressaltando que “a partir dai os ataques não cessaram mais”.

Jeferson explica que as crises são difíceis de controlar, mesmo estando em um hospital. Ele lembra que já houve vezes em que o menino ficou cerca de duas horas com um ataque de convulsão. “É muito difícil ver isso e não poder fazer nada. Meu menino toma cinco remédios anticonvulsivantes”, continua.

Gabriel fala com dificuldades e tem problemas motores. Há cerca de dois meses na Florida, ele está passando por um tratamento de fonoaudiologia. Segundo Jeferson, os médicos no Brasil negaram este tipo de tratamento ao menino, sob a alegação de que não havia perspectivas de melhora. “Isso foi mentira, pois hoje eu vejo meu menino cada vez melhor com o tratamento que está recebendo neste país”, afirma.

Outro tratamento que foi negado ao menino, no Brasil, foi o de fisioterapia intensa, que o ajudaria em suas habilidades motoras. Este tipo de cuidado Gabriel também está recebendo na Florida.

Fonte: Da Redação