Publicado em 11/04/2016 as 2:00pm

Paquera online é realidade entre brasileiras em NYC

Seja à procura da alma gêmea ou alguém para descontrair o foco é que a alternativa da paquera online tem sido a saída para muitas brasileiras encontrar o "príncipe" e ter momentos a dois inesquecíveis.

Os Estados Unidos é o campeão da paquera online, seguido por Reino Unido e Brasil. E as brasileiras que residem na cidade de New York revelam suas experiências com a paquera online.

 

De acordo com Rosete Pambakan, porta-voz do Tinder, aplicativo de paquera que é o top do momento, o usuário do aplicativo gasta em média pouco mais de uma hora por dia navegando entre os perfis.

Seja à procura da alma gêmea ou alguém para descontrair o foco é que a alternativa da paquera online tem sido a saída para muitas brasileiras encontrar o “príncipe” e ter momentos a dois inesquecíveis.

Adriana Silva, 40 anos, diz que o motivo que a levou a utilizar a Internet foi o fim do relacionamento. “Eu terminei uma relação de 7 anos e fiquei 6 meses sozinha, cuidando do meu coração. Depois desse período eu queria conhecer alguém legal, minhas amigas falaram do Tinder e resolvi ser moderna e arriscar. Foi a primeira vez que usei a tecnologia pra conhecer alguém”.

A brasileira diz que trocou mensagens com apenas três rapazes das diversas opções que lhe foi sugerida. “Meus critérios foram inteligência e bom humor. Se chegasse com uma conversa muito picante, eu já eliminava. Fui tomar café com aquele que tinha mais coisas em comum comigo, exemplo, temos a mesma carreira, mesmo gosto musical, gostamos de fazer as mesmas coisas nas horas livres, enfim, somos muito compatíveis. Até agora sai apenas com essa pessoa. Estamos nos conhecendo há 1 mês. Eu recomendo o Tinder às amigas, mas sempre digo pra tomarem cuidado. Conversem bastante antes de ir encontrar pessoalmente. Marquem em lugar público e eu não aconselho ir direto ao sexo, se a garota estiver a fim de relacionamento. Muitos caras estão nesses apps apenas como predadores, eles querem sexo fácil. Por isso a necessidade de analisar bem”, completa.

Para a jovem de 20 anos, Ana Beatriz, o ingresso nesse universo de relacionamentos online ainda permanece virtual, porém ela pretende ir adiante. Ela conta que decidiu investir nesses aplicativos pela falta de companhia para sair. “Eu passei a usar apps de relacionamento porque não conheço muita gente. Cheguei aqui nos EUA há 5 meses e nos bares a paquera não é igual no Brasil. Até agora tenho conversado com apenas duas pessoas, e quando eu me sentir confortável será a hora de nos conhecermos pessoalmente e ver se de fato irá rolar aquele ‘match’”.

A variedade de intenções é vasta, assim como as personalidades.  B.D.R, que prefere não publicar o nome, diz que a entrou para se socializar e achou a alternativa super cômoda para quem não quer ter o trabalho de sair, ser simpatico e socializar. “Encontrei alguns homens bem loucos querendo apenas sexo, outros bem engraçados querendo um relacionamento sério, outros super legais, mas que só queriam algo passageiro também. Eu recomendo e minha dica é que a pessoa seja direta com o que deseja no aplicativo. Eu não tinha exatamente um objetivo, porque eu tinha acabado um relacionamento e só queria curtir. Acabou que alguns rapazes que pareciam super legais para um relacionamento passaram despercebidos, porque esse não era o meu objetivo. Mas sim, esses rapazes legais existem. Tem que ter paciência e dar uma chance a esses aplicativos. Pessoas loucas existirão em qualquer lugar. Especialmente em NYC”.

No vai-e-vem dos relacionamentos há quem use outras alternativas que não o Tinder, como o e-Harmony, Match ou mesmo o próprio Facebook. Eu mesma já recebi cada inbox no Facebook dizendo que a pessoa gostou do meu perfil e etc, que fiquei surpresa em ver que as pessoas também usam a rede social para paquerar e não só como um diário online e relacionamento com seus amigos ou profissionalmente, que é o meu caso.

Mari J. disse que já ativou e desativou o aplicativo de paquera diversas vezes. “A ideia de paquerar sem compromisso era divertida e cansativa ao mesmo tempo. Saí com várias pessoas que pareciam interessantes por mensagens, mas que ao vivo não eram tudo aquilo o que prometiam. Alguns logo de início já deixavam bem claro o que estavam procurando, fosse apenas sexo ou um relacionamento sério. Meu último date foi ótimo, a conversa fluiu como se nos conhecêssemos há tempos, e estamos juntos há um ano. Nenhum de nós estava buscando um relacionamento, mas nós abrimos a essa possibilidade e hoje falamos abertamente sobre como nos conhecemos, e encorajamos amigos e conhecidos à darem uma chance ao app”.

A verdade é que o aplicativo pode ser bem interessante para encontrar pessoas bacanas, mas nós recomendamos que a pessoa seja precavida e tome algumas medidas de segurança antes de embarcar nesta aventura. Tomar cuidado de onde será o primeiro encontro, que avise alguma pessoa com quem está indo se encontrar, vá a um lugar público e não divulgue muitas informações pessoais, afinal, nunca se sabe quem está do outro lado da telinha do celular.

 

Fonte: Marisa Abel