Brazilian Times

Publicado em 21 / 11 / 2011

'Índice Gisele' rende mais que a Bolsa dos EUA, segundo economista

Criar um índice que compara a rentabilidade das empresas representadas pela modelo brasileira Gisele Bündchen com a Bolsa de Nova York. Foi essa ideia que teve o economista Fred Fuld, em 2007. E não é que a modelo brasileira está indo muito melhor do que

Criar um índice que compara a rentabilidade das empresas representadas pela modelo brasileira Gisele Bündchen com a Bolsa de Nova York. Foi essa ideia que teve o economista Fred Fuld, em 2007. E não é que a modelo brasileira está indo muito melhor do que a Bolsa americana?

Além de ser a modelo mais bem paga do mundo pelo sétimo ano seguido, segundo ranking da revista Forbes, Gisele Bündchen é também uma boa opção de investimento para as empresas.

O 'índice Gisele', que acompanha o desempenho só das empresas representadas pela modelo brasileira, tem mostrado um desempenho melhor que o índice Dow Jones, um dos principais indicadores dos movimentos do mercado norte-americano, de acordo com os gráficos feitos por Fuld.

De janeiro de 2007 a setembro de 2011, o 'índice Gisele' subiu 41%, enquanto o Dow Jones caiu 4% no mesmo período, demonstra Fuld.

Entre as empresas representadas pela modelo estão Volkswagen, Polo Ralph Lauren Corp, Procter & Gamble, Disney e Vivo Participações.

Segundo o economista, o desempenho do 'índice Gisele' seria ainda melhor se o contrato da modelo com a Apple tivesse sido renovado --ela apareceu em comerciais promovendo uma nova linha de Macintosh há alguns anos.